.
.

17 de outubro de 2007

Canibalismo II



Falei sobre antropofagia aqui, sobre uma matéria da MenteCerebro chamada Canibalismo: Da Cultura à Perversão. Neste artigo a autora Nahlah Saimeh começa seu trabalho falando de Armin Meiwes (foto ao lado), que há 6 anos atrás anunciou na net que procurava um homem para ter seu pênis amputado, devorado e no final ser morto, após o exótico banquete.
O bizarro anúncio foi respondido por Bernd Juergen Brandes (e segundo Meiwes, por mais 400 homens) que aceitou a proposta que foi cumprida exatamente como combinado.

Esse caso levantou muitas questões quando veio a tona em 2002. A principal delas era se isso deveria ser considerado crime, já que foi concedido por ambas as partes. Na verdade mais do concedido, já que Brandes implorou para ser devorado, como fica claro no vídeo que o canibal alemão fez de todo o processo: do abate a degustação. Um crime ou um casal perfeito?

De qualquer maneira Meiwes foi julgado e condenado à prisão perpétua e cumpre sua pena em Kassel, na região central da Alemanha.

A novidade é que Meiwes falou pela primeira vez sobre o assunto no último dia 15, em entrevista para a emissora de TV RTL. (Por coincidência na mesma semana que levantei esse assunto aqui no blog.) Ele conta, como diz a matéria do G1, que passou os meses seguintes à morte de Brandes degustando sua carne que ele armazenou congelada em pequenas porções. Ele estima que tenha consumido, no total, 20 Kg de Brandes. Além disso, o canibal comentou que tinha esse "desejo de consumir outro homem ha décadas", e que desde criança adora a história de João e Maria.

Outro ponto interessante da entrevista é quando Meiwes conta como foi servida a iguaria. Segundo ele a carne foi temperada com sal, pimenta, alho e noz-moscada, e servida com croquetes "princesa", couve de Bruxelas e molho de pimentão verde. Ele relata que "A primeira mordida foi com certeza única, indefinível, já que eu tinha sonhado com isto durante trinta anos, com esta conexão íntima que se faria perfeita através desta carne".

O mais assustador disso tudo é que a avaliação psiquiátrica feita antes do seu julgamento concluiu que ele não é louco, mas tem uma "alma muito perturbada". O próprio Meiwes diz "Eu sou um ser humano normal, em princípio". Mas afinal de contas, o que seria "uma alma muito perturbada"?

De acordo com matéria do G1: "A polícia estima que em torno de 10 mil pessoas, na Alemanha somente, partilham o fascínio de Meiwes pelo canibalismo - seja por comer carne humana ou por ser comido."

Veja outra notícia sobre antropofagia aqui.

Parece que Nahlah Saimeh está correta quando afirma que o fenômeno é mais freqüente do que ousamos pensar.
.
.
.......................................................................Fernanda Pimentel
.
.

15 de outubro de 2007

Auto-imagem nos Transtornos Alimentares

video

Esse vídeo, da campanha de uma ONG sueca, circulou pela net meses atrás. Mas essa semana eu assisti novamente no curso de Transtornos Alimentares da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro que estou participando e vi que ele ainda me choca. E como falei de realidades chocantes outro dia...

.

.....................................................................Fernanda Pimentel